Seguidores

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

chove

Neste dia cinzento, ao ouvir o bater da chuva ,nas vidraças da janela.
 fico parada, silenciosa, com um nó , na garganta a ver a mãe Natureza chorar , estas lágrimas grossas , escorrendo...pela vidraça, a pensar em tanta coisa... Em nós Humanos as lágrimas, lava-nos a alma, na Natureza fecunda a terra, prepara a nova Primavera que se vai aproximando de mansinho, pois nada acontece por acaso.
Nesta beleza agreste , pura genuína que é a beleza da nossa serra, não tem o bulício das cidades agora todas engalanadas, a preparar o Natal que muitos não têm.
 Mas tem este cheirinho bom a terra molhada, este verde algo diferente que nos faz sentir bem pequeninos, mais ao longe quem caminhar pela serra vai encontrar o mar, e nesse contraste, é quase impossível não ter de parar para admirar , a  beleza , eu adoro ver do alto da serra o mar, a esprair-se na areia, ver aquela espuma branca, que me lembra a barra de Luanda.
Aqui não tenho o mar, mas tenho o terreno que me faz sonhar , com os tempos de menina, sempre gostei de caminhar na chuva, que para a minha mãe era um Deus nos acuda, ainda hoje gosto de o fazer, protegida é claro, mas é tão bom sentir-la cair no rosto, fria sim ,mas...agradável
Quando menina corria pelo terreno abaixo até ao ribeiro, hoje , nem pensar o terreno   é bastante inclinado ia a rebolar até ao canavial, rsrsrs bem não ia porque as Videiras não iam deixar.
Tudo e todos me vêm á lembrança, mas em especial tu , és para mim eu pessoa muito importante, muito especial

Um comentário:

José Gonçalves disse...

Olá Lu,

De repente, vi-me a correr, a pé, descalço, com a sandália na mão, em direcção à Mutamba, e a chuva molhando minha balalaica!

Belos tempos de menino e moço!!!

Quem me dera a mim poder, daqui, apreciar o mar! Quam me dera!

Como vês, nem tudo são espinhos, nem canaviais que nos acolham na queda!

Tudo tem um lado bom, agradável, à espera de ser contemplado!

Um abraço e até sempre,

José Gonçalves