Pular para o conteúdo principal
O Ano vai andando devagarinho, já quase sem forças para enfrentar as horas que lhe falta para mudar, dar ao que se aproxima, a coragem, a fé, o amor que neste não deu a muita gente.
Ano Novo pequenino, traz por favor um pouco de fé, coragem, trabalho amor a tantos que nem já lembra o que isso é.
Lembra-te das pessoas que habitam tendo por telhado o firmamento as estrelas, muitas vezes possivelmente nem um prato de comida quente, nestes dias de invernia.
As crianças que andam por ai a vagar, muitas sem ter um lugar onde dormir, cuida delas por favor.
Da coragem para vencer o dia-a-dia, saber que amanhã é outro dia, que ele não seja pior que o hoje, sim mais forte, sem medos, mais alegre, mais feliz.
Este mundo anda um pouco perdido, cuida dele ano Novo por favor.
Agora e sempre todos e cada um encontrem, o abraço que dá força, revigora tudo que de melhor existir em cada um. LR

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bom dia Amigos!!!!!!

Pois é hoje estou de volta. Estou melhor, meu filho e minha nora foram os meus enfermeiros de serviço,  a eles devo esta recuperação tão acentuada e gostoso.  Obrigada filhotes eu vos amo, e agradeço todo o cuidado que me dispensaram. Mas também minha alma esta mais leve, mais feliz sinto-me com uma fenix, se deve ter sentido ao renascer das cinzas, em conjunto com alguém que me é muito querido e especial, ( nada de pensamentos  atrevidos ) andamos a arrumar as nossas gavetas interiores, a nossa cabeça, e foi óptimo. Deu-me alento e força para mudar umas quantas coisinhas mal resolvidas na minha cabeça. Apesar de ter faltado a escola, fartei-me de estudar, e de recolher informação. Terça-feira já lá vou se Deus quiser. Vou dar a volta, andar um bocadinho só me faz bem, vou fazer uma volta mais pequena que a tua, mas vou andar cerca de 1hora depois venho tomar uma grande banhoca e seguir o resto do dia, se não viesse aqui falar um pouco com os meus amigos /as não ficava bem , ama-vos a todos…

era uma vez

Há imensas historias que começam era uma vez. Reais que retratam factos verídicos, outras nem tanto.
Esta historia poderia ser uma mistura de realidade e ficção, porque nem sempre é fácil reconhecer que erramos, vamos levando a vida a pensar mais nos outros que em nós. Não por ser boa ou má, só por covardia, por medo de magoar quem um dia demos vida, deveria ter a coragem de esquecer a outra parte de mim.
Uma vez parece que se ainda se consegue, é tão doce o abraço de um filho, sem duvida que é, só que embora importante não nos completa por inteiro.
Nos momentos de maior solidão, falta a mão que segura a tua, sem palavras, só um doce apertar que te diz estou aqui, não estás só, isso não tem dinheiro que pague, só que o abraço de um filho também não, ai vem a duvida terei direito a ir viver minha vida, e magoar os outros?
Fica aqui num cantinho da tua cabeça, e parece matraca insistente na pergunta, sem dares conta continuas dia após dia na mesma duvida, os dias deram lu…

uma verdade grande