Seguidores

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Vidas



Os sonhos vivem dentro de nós.
Muitas vezes nem a nós mesmo dizemos o que vai dentro desses, vão andando a saltitar  sem encontrar o lugar...
Nessa busca inconstante, ela via passar o tempo, ia acalentando a ideia , sem comentar, temendo até que podessem adivinhar que seu coração sonhava...
Ele sonha tanta coisa, é uma criança rebelde que trago dentro do peito.
Por mais que tente, não o domino.
Saía  de casa, ia trabalhar, ela era uma mulher calada reservada até.
Sorria até podia brincar se falassem com ela, porém ninguém sabia como era sua vida.foi mulher Quando alguém mais curioso lhe indava alguma coisa, era evasiva, sorria e poderia responder sempre o mesmo ( esta tudo bem ).
Porem ela sabia que não estava, sabia das dificuldades com que vivia,
Os anos passaram, o tempo que tudo dá e tudo tira, tirou-lhe tanta coisa...
Ela viveu em Africa, ai teve a sua casa, seu trabalho, casou , e teve a grata ventura de ser mãe.
Um dia tudo mudou.
Voltou a Portugal. Os 4 a começar do zero.
Ambos tinham garra,  uniram esforços e começaram ... Ele a trabalhar, ela a cuidar dos filhos , da casa, da vida.... a mesma vida que não lhe dava treguas.
Os filhos foram crescendo, um dia  veio a noticia que os encheu de jubilo, ela estava gravida.
Um filho é sempre uma benção, a renovação da esperança.
tudo correu bem, foi e é a alegria de todos. Tudo ia bem .  A vida sempre a pregar rasteiras, eles sempre a lutar e a ultrapassar, foram dias somados deram pouco anos.
O pior estava a chegar, partiu-se a trave da nossa casa, o sustentaculo da família,
Avida é uma passagem , a viagem do meu marido tinha acabado, ele partiu, meu mundo virou de cabeça para baixo.
poucas coisas tiveram impacto comigo até aquela data, como a partida dele.
Havia que levar o barco a bom porto. Este barco chamado vida em que navegava, Foi  dificil.
Não impossivel.
Desempregada, 3 filhos, e agora? como vai ser? o caçula era demasiado pequeno, só que foi um grande miudo, há que dividir tarefas, responsabilidades.
Trabalho que é bom , nada. Ela só precisava de trabalho, precisava ganhar, tinha de colocar o pão  n,a mesa, tarefa bem dificil , acredita.
O tempo que tudo da e tudo tira...
Até a possibilidade de continuar a trabalhar, aqui é assim, a partir dos 35 já é dificil arranjar trabalho.
Ela já tinha 42.
Já andava esgotada , pois não estava a ver saída, quando alguém lhe lembra, talvez numa cozinha...
porque não!? vamos a isso. Assim ela se viu numa cozinha...
saía de casa bem cedo, as crianças colaboravam, cuidando umas das outras.
foi muito doloroso...fez .nos crescer como pessoas, como família, criou laços muito profundos, mostrou-nos que juntos tudo é bem mais facil, embora com muitas limitações...
recordo uma altura, que estavam desempregada, e só havia esparguete em casa, e um frasco de massa de tomate.
O filho mais velho saíu bem cedo, deixou bilhete a dizer, fica traquila mãe, venho cedo,
Será inutil dizer o quanto ficou preocupada, o que lhe doía lá dentro da quele peito de mãe,
Aquela manhã parecia que não tinha fim.
Quando o viu surgir no funda da rua, carregando 3 sacos do super mercado , cheios de alimentos.
Ele foi carregar uma camioneta com fardos de palha, todo o dinheiro que recebeu foi para comprar comida para casa, tinha 17 anos.
Vinha cansadissimo, e tão feliz por poder ajudar.  LR
Continua......





Nenhum comentário: