Pular para o conteúdo principal

onde estavas no 25 de abril de 1974?!

Onde estava...como era a minha vida? ...
Abril é um mês lindo...nem muito calor nem frio. 
Estava na minha amada Angola
A vida caminhava num passo tranquilo, tudo era belo, em casa meu marido nossos filhos ,  Uma casa como tantas outras ... A vida na fazenda era tranquila, muito trabalho mas sem stress, começava bem cedo o nosso dia... às 5h30 dia já se fazia notar lá em casa. 
Era a alvorada.  a preparação do café da manhã, ou mata bicho como era conhecido. Leite, pão, manteiga e doce... De seguida iam distribuir trabalho entre o pessoal. 
O filho a rega o pai analisar a pecuária, se havia crias, novas, preparar o banho, as vacinas,  enfim muita coisa há a fazer,.. trabalho duma fazenda onde a pecuária também era expressiva eram 300 cabeças de gado bovino

 As 10 horas vinham tomar o pequeno almoço. Quase sempre de garfo e faca A semana estava a decorrer normalissíma. 
Depois de um dia de trabalho havia o habito de ir ouvir as noticias do "puto"..( termo utilizado para falar de Metrople).algo havia de novo que nos deixava entre feliz e amedrontada, algo havia no ar...Revolta dos cravos assim diziam, tudo era novo mas sem saber compreender o que ao certo nos alertava .

Numa absoluta ignorância  de tudo ouvia  ávidos , os relatos que faziam, já temendo que tudo não passa-se de algo falso e enganador....mais tarde compreendi o que me alertava, mas da pior forma
 um ano depois, percebi o que me tinha alertado... sem saber porquê, as casas dos Europeus foram todas saqueadas, a minha também não tinha feito nada errado , mas nossas vidas estavam desfeitas ,todo o trabalho de uma vida ficou reduzido a nada.
 Já passaram muitos anos mas ainda sinto uma angustia estranha a relembrar o que vivi... sempre trabalhei, e ver-me sem nada com uma casa de família foi duro de ultrapassar.
O tal 25 de Abril, que apesar dos meus medos, tanta expectativa tinha trazido, esta a mostrar ,  que tudo não passou de um embuste, acredito que para alguns ( poucos) tivesse sido realmente feito de boa fé, mas....levou a ruína tanto aqui como lá.
A minha amada Angola  esta em franca recuperação, sempre acreditei naquela terra linda, onde foi tão feliz.
Aqui o 25 de Abril não passou de uma miragem pois  , tudo vai de mal a pior.LR

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe , filha

Mãe!!!
O teu dia vem ai
embora todos os dias,
seja o dia, dos teus dias...
para acariciar, sorrir , amar...
teus bebes....
Neles te revês e cuidas,
desde o acordar ao dormir,
neles , entregas teu dia...
sorriso bonito, emoldura teu rosto
quando se olham nos olhos,
quando teu marido abraça,
beija e brinca com os pedacinhos dos dois
ali, bem a tua frente...
esta um pedacinho de gente.
que dá luz , dá alegria, da força
para vencer  o dia a dia...
Mãe!
Palavra mágica,
que faz vencer, nos dá coragem
são só três letras
juntas com outra que igual tem
apenas 3 , Pai,
Dupla perfeita que faz regaço
num longo abraço
e já são 4 amores eternos
são pais e filhos
no coração, Mãe,
mulher guerreira, tem dentro dela
força e coragem
para dar alento, aos 3 amores....
são sua vida,
 Mãe
também tu és a vida deles
no amor ternura, forte e profundo
do Dady , nos bebes,
mãe também és filha
que duas mães, amam e querem
Mãe obrigado por seres quem ês LR

O tempo

O Tempo vai passando....
leva e traz pedacinhos, momentos vividos em algum lugar.
coisas que ficaram gravadas na mente , no coração de quem viveu...vive e sente....
Assim de repente, o mundo se agita, tudo toma cor.
Só porque encontramos pedaços, escritos, tlvez vividos, por alguém a quem nunca deixamos de amar.
A vida é assim.
Algures noutra galaxia, tal a imensidão da distancia que vamos ficando uns dos outros...um do outro.
Agora , ao entrar no teu tempo, recordo o meu tempo....o nosso tempo.
Tão curto e tão belo...para quem o sentiu, será sempre enexquecivel.
Pois quando se ama é para toda a vida.LR

era uma vez

Há imensas historias que começam era uma vez. Reais que retratam factos verídicos, outras nem tanto.
Esta historia poderia ser uma mistura de realidade e ficção, porque nem sempre é fácil reconhecer que erramos, vamos levando a vida a pensar mais nos outros que em nós. Não por ser boa ou má, só por covardia, por medo de magoar quem um dia demos vida, deveria ter a coragem de esquecer a outra parte de mim.
Uma vez parece que se ainda se consegue, é tão doce o abraço de um filho, sem duvida que é, só que embora importante não nos completa por inteiro.
Nos momentos de maior solidão, falta a mão que segura a tua, sem palavras, só um doce apertar que te diz estou aqui, não estás só, isso não tem dinheiro que pague, só que o abraço de um filho também não, ai vem a duvida terei direito a ir viver minha vida, e magoar os outros?
Fica aqui num cantinho da tua cabeça, e parece matraca insistente na pergunta, sem dares conta continuas dia após dia na mesma duvida, os dias deram lu…