Pular para o conteúdo principal

Magoa

Aqui no silencio, onde só eu e o teclado falamos...ou eu falo para lhe contar as coisas que me entristecem como sempre...
Com este amigo posso falar deitar para fora tudo que minha alma sente e cala...
Aqui sou eu ele o teclado..
Quero deixar de ser assim , só que é muito dificil, boas intenções eu tenho...depois vem tudo a minha cabeça, adeus intenções...
Analisando as coisas; poucas são as pessoas que tem o poder de me magoar, me fazer sofrer...antes eu faria uma sena, diria tudo que esta preso na garganta...agora calo-me...para quê falar?
As vezes nem é o que se diz,  é sim como é dito...
Quem sabe um, dia vão perceber o quando me doí, agora fico calada, muda...sem dizer palavra, antes faria uma fita, diria tudo o que me vai na alma, hoje calo-me...
Dou o que não sei sentir , nem tenho, indiferença aos molhos para distribuir...
Sempre foi tudo ou nada... gosto ou não gosto, e até gostava como amigo é certo mas gostava, sinto que estou a virar gelo....
Numa atitude ternurenta de amigos, dei-lhe o braço, encostei a cabeça no seu braço e perguntei..-
ou melhor ia perguntar...
não o cheguei a fazer pois, uma voz fria, como bofetadas disse:- vai te encostar ao que comeste ontem...
Calei-me...voltei costas.
Não mais estive em ameno convivio, chego venho para o quarto, aqui me fecho...
Me perco ou me encontro, mas sozinha...calada...estupidamente só...
Não quero estar triste, não quero...mas não sei ver essa agressividade sem me magoar....LR

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe , filha

Mãe!!!
O teu dia vem ai
embora todos os dias,
seja o dia, dos teus dias...
para acariciar, sorrir , amar...
teus bebes....
Neles te revês e cuidas,
desde o acordar ao dormir,
neles , entregas teu dia...
sorriso bonito, emoldura teu rosto
quando se olham nos olhos,
quando teu marido abraça,
beija e brinca com os pedacinhos dos dois
ali, bem a tua frente...
esta um pedacinho de gente.
que dá luz , dá alegria, da força
para vencer  o dia a dia...
Mãe!
Palavra mágica,
que faz vencer, nos dá coragem
são só três letras
juntas com outra que igual tem
apenas 3 , Pai,
Dupla perfeita que faz regaço
num longo abraço
e já são 4 amores eternos
são pais e filhos
no coração, Mãe,
mulher guerreira, tem dentro dela
força e coragem
para dar alento, aos 3 amores....
são sua vida,
 Mãe
também tu és a vida deles
no amor ternura, forte e profundo
do Dady , nos bebes,
mãe também és filha
que duas mães, amam e querem
Mãe obrigado por seres quem ês LR

O tempo

O Tempo vai passando....
leva e traz pedacinhos, momentos vividos em algum lugar.
coisas que ficaram gravadas na mente , no coração de quem viveu...vive e sente....
Assim de repente, o mundo se agita, tudo toma cor.
Só porque encontramos pedaços, escritos, tlvez vividos, por alguém a quem nunca deixamos de amar.
A vida é assim.
Algures noutra galaxia, tal a imensidão da distancia que vamos ficando uns dos outros...um do outro.
Agora , ao entrar no teu tempo, recordo o meu tempo....o nosso tempo.
Tão curto e tão belo...para quem o sentiu, será sempre enexquecivel.
Pois quando se ama é para toda a vida.LR

era uma vez

Há imensas historias que começam era uma vez. Reais que retratam factos verídicos, outras nem tanto.
Esta historia poderia ser uma mistura de realidade e ficção, porque nem sempre é fácil reconhecer que erramos, vamos levando a vida a pensar mais nos outros que em nós. Não por ser boa ou má, só por covardia, por medo de magoar quem um dia demos vida, deveria ter a coragem de esquecer a outra parte de mim.
Uma vez parece que se ainda se consegue, é tão doce o abraço de um filho, sem duvida que é, só que embora importante não nos completa por inteiro.
Nos momentos de maior solidão, falta a mão que segura a tua, sem palavras, só um doce apertar que te diz estou aqui, não estás só, isso não tem dinheiro que pague, só que o abraço de um filho também não, ai vem a duvida terei direito a ir viver minha vida, e magoar os outros?
Fica aqui num cantinho da tua cabeça, e parece matraca insistente na pergunta, sem dares conta continuas dia após dia na mesma duvida, os dias deram lu…