Seguidores

domingo, 30 de março de 2014

ele e ela



Poderia chamar história dele e dela, mas vou deixar ao vosso gosto…
Todas ou quase, as historias começam era uma vez , esta também…
Era uma vez, Ele um homem maduro, com olhar de menino, com uns olhos onde a inteligência e o saber estavam bem lactentes, em cada gesto…cada olhar, mas esse homem com olhar de menino grande, também era solitário e triste, carente de afetos.
Dono de uma vontade firme,
Seus olhos de um castanho amendoado , tudo pareciam querer ver e, gravar dentro dele..bebia com avidez cada palavra dela..
Vinha de uma infância marcante…. luta do dia a dia não se fez rogada…sem abundacia de menos e fome demais.
Tinha na alma as cicatrizes que só os grandes conseguem disfarçar, dando-lhe um ar de coisa linda. Um sorriso cativante sensual que nos prende nos marca…
Trabalhou…venceu, talvez não depende do que chamar vencer…sim a vida esta cheia de vencer e desaires que não vemos, porque não queremos ver esquecemos o coração para ouvir a razão que nem sempre é boa conselheira quando se trata de felicidade.
Ela, uma mulher que todos imaginavam feliz, sorria para tudo e todos vivia dando amor dando-se aos outros familiares e amigos esquecida que também ela era pessoa. Também ela ainda iria querer viver mas não se dava conta disso.
Pensavam que era feliz alguns diziam (Quem me dera ser como tu, nada te afeta, nada te perturba…) ela sorria num sorriso enigmático que ninguém percebia,… pensava: que tontos são, ainda bem deixa-os pensar, era fogo de palha pois logo tudo passava e voltava ao normal.
Sempre ela tentava ver o lado positivo das coisas tentavam vencer as lutas diárias da vida lutava e vencia , sempre com a esperança, sempre vendo o lado bom das coisas.
Lá ia semeando amor a sua volta, entre filhos, colegas, família, nas coisas mais pequeninas, ou nas grandes coisas.
Vivia a margem dela, esquecida também tinha direito a ser feliz como mulher.
Não tinha pressa de crescer, a vida fez dela mulher quase sem querer sê-lo, foi esposa e mãe.
A mulher onde ficou...ninguém sabe, nem ela.
Presa na cadeia do amor á vida, filhos e casa. Foi esquecendo que a solidão não é boa companhia para ninguém, solidão mata.
Ela e ele, viveram tão perto, andaram pelos mesmos locais mas não deram um pelo outro possivelmente cruzaram-se nos mesmos locais, mas não se viram, poderiam ter tomado café no mesmo balcão….
O tempo, senhor que tudo sabe, tudo faz, a vida tem sempre surpresas guardadas..nós na nossa pressa de viver impedimos a vida de realizar o que é melhor seria para nós.
Os seres humanos são complicados.
Um dia sem saber bem como ou porquê…. combinaram tomar café…
Esse encontro foi mágico.
Houve um click como se sempre se tivessem conhecido, ela serena chegou junto dele. Deu-lhe um beijo …cumprimentou como se fossem velhos amigos, em verdade já o eram, a novas tecnologias tem esse encanto, o de fazer as pessoas conhecerem primeiro o ser que o físico…embora as vezes nem tudo seja como imaginamos.
Foram tomar um café na beira de uma estrada, foi o café mais saboroso da vida dela, tal o impacto.
Ele colocou-lhe o braço sobre os ombros numa atitude protetora, carinhosa, ela desabituada de tal gestos de ternura, sentiu-se segura protegida. Aquela sensação de segurança, toda a envolvência do momento fez-lhe bem….
Foram ver o mar. O mar tem sempre a magia de acalmar, aquela imensidão de azul e céu deixa-a sempre encantada.
Andar sobre a areia, apanhar pedrinhas…andar mão na mão qual adolescentes enamorados…riram das coisas mais simples, são essas coisas simples que a vida nos dá que nos faz feliz…eles estavam felizes…
Ele num casamento (mas ele dizia estar separado,) que parece só existe no papel, era tão carente quanto ela.
Nasceu um relacionamento, um dia ele contou a verdade, ai o mundo dela caiu… era mau demais para ser verdade, mas, tarde demais…
Ela que nem se lembrava que existia como mulher… já tinha acordado os sonhos adormecidos, ela que sorria por tudo e nada, ficou triste… enciumada escondia a tristeza de tudo, todos chorava sozinha…tornou-se insuportável, ficou… sombra do que era
Ela queria aquele homem, afinal foi ele que a despertou que a fez sentir mulher, a mulher que havia nela.
Foi difícil tomar a decisão.
Mas tinha de ser tomada….
Ele não é feliz, ela tão pouco , vegetam como tantos casais que não tem coragem de ser eles mesmos. Não há cumplicidade, carinho, em suma amor…mas estão juntos não por eles mas para mostrar ao mundo que são um casal. Vive-se muito de aparência…
Muitos desprezam o mundo dos afetos …. que viver assim, não é viver é passar pela vida, somar dias atras de dias, sem se completarem sem terem aquilo porque viemos ao mundo, amare e ser amados.
A vida dá-nos um manancial de oportunidades, que vão surgindo a cada par e passo, há que estar atentos saber olhar e ver, sem medos, somos aquilo que somos quem nos ama, ama-nos como somos com o bom e o menos bom, não podemos fingir ser o que não somos.
Amar não è só dizer… é muito mais que isso, é provar todos os dias… nas pequenas coisas , num beijo inesperado, num abraço sem contar, num instante que ligamos só para ouvir a voz amada, e dizer amo-te.
O amor é uma flor linda, bela perfumada, que exige cuidados, no jardim de quem se ama, ela necessita ser regada, a sensibilidade que nos dá o amor…adubada de carinho, podada de ternura , regada de cumplicidade com a sabedoria que nos dá… o próprio amor
O dormir de conchinha o desejo de sentir o corpo do outro pele com pele, sentir o calor ameno que o outro nos dá…o sabor da boca nos beijos mais loucos…onde sentimos tudo que só quem ama pode sentir…é maravilhoso o seu beijo a húmido um só tempo arrebatador e terno…como? Quando? Ela não sabe, ele tão pouco…
Tudo queria, ela já voltou algumas vezes aquela praia…mas…nunca mais teve o mesmo encanto

sexta-feira, 28 de março de 2014

pelos, patas

As personagens da historia ,são o Sr Lost, com o seu ar serio de poucos amigos,
 ralha por tudo e por nada, faz lembrar certas pessoas, com a mania que são bravas, mas dás um pouco de carinho....nasce logo  , outra energia, só feita de alegria- é um laborador de gema
Dona ava pois então, é a princesa da casa.
Toda ela cor de areia, porte elegante sereno, mas não fosse ela uma mistura de pastor alemão e belga.
Travessa alegre, amiga,  tem também o seu feitio, adora mimo...
A tica gata manhosa, toda ela se roça pelas pernas que lhe chegam mais perto do seu corpinho, gata marota, depois vem o quico, outro gato, mas todo preto, com olhos verdes vivos espertos, gatuno como só ele, adora roubar seja o que for que apanhe, pode ser até um pão se te descuidas já sabes ele espreita o Zé padeiro, para o pãozinho roubar...
Para acabar o zoológico, falta  falar dos peixes,de água fria sim senhor, 17 são ao todo, lá andam sempre a brincar.
Olham para os peixes,O Lost a Ava parecem dizer, se não pode estar, aqui ...  
As vezes parece que falam , que se entendem pois então.
A Ava deitada na sala, que a senhora é muito fina, não lhe serve qualquer cama,  só deitada no Sofã, a Tiga que não é parva, faz-lhe logo companhia.. De ol,har manso e matreiro8olha gulosa para os peixes ) , se te  atreves vais só ver, o que a seguir te acontece, levas corrida daqui e vais dormir, na tua cama, bem feitinha do teu jeito, lá na arrecadação., Diz ava em seu olhar
O quico, não tem sequer autorização,em casa , não tem lugar, pois gatuno como ele é.. não lhe escapa mesmo nada....
um dia ao sair de casa, a Ava o ia cumprimentar,ele arisco, desconfiado, não gostou , pois não senhor,  levou com as unhas no nariz, que agora só longe dela é que ele pode andar, cão e gato , no seu melhor.
O Lost tem seu cantinho, sua casa no quintal, em casa não pode estar, pois xixi é onde calha, Vai e vem pois de outro jeito é impossível pensar.
As vezes namora a Ava,que é donzela virgem e pura, bem lhe segredam seus olhos promessas de amor eterno, só a dona, que é velhota, já não  entende este amor, não deixa, não quer cachorros , pois ficar com todos nem pensar, e não sabe o que fazer, assim nada de amores.....
Ela a olha-lo dengosa,, como a dizer-lhe baixinho...que vida de cadela, é assim, mesmo sem ter pedigree....como agora tudo casa, quem sabe um dia também, ainda iremos casar. 
Eu de fraque todo feito, armado em
pinguim,mas preto não pode ser, pois já sou eu todo preto, tirando  as barbas que estão a imitar o cabelo da minha, ficaram brancas coitadas....
Tu de vestido de noiva, linda como só tu, véu e grinalda pois então, o ramo é que é complicado...leva os donos, fazem festa....quem sabe um dia quem sabe....
As penas não sei porquê não querem nada comigo, tive canários, periquitos, mas morrem sem saber como, desisti quero ver penas na rua, alimento os passarinhos ali no meio " do jardim" coloco água e comida, presos numa gaiola desisti não quero mais, penas me bastam da vida, mesmo assim eu não as quero , pois mal acordo eu digo, vou ter um dia feliz...LR

tempo

 O tempo... o senhor que nos governa...
faz sempre a gente pensar...
como é bom, olhar o tempo....
sentir-lo passar por mim...
mostrando, o certo e o errado...
muitas vezes, nem dou conta,
da conta que o tempo dá...
Sr tempo meu amigo, me dá força
animo e querer,  para saber
ir em frente...
Na frente do meu viver,
Tenho tudo que preciso...
para poder ser feliz...
Não me deixes, querer mais....
que o passo que a perna dá...
Meus amigos, de verdade...
só deixo aqui um pedido, 
feito ao tempo que me resta
ajuda , proteje e cuida...
nos dias que vão correndo...
a todos, sejam quem for, 
que precise dum abraço...
ainda que o meu não seja...
fica a oferta, mais singela.
abraço...LR

quarta-feira, 19 de março de 2014

historia

As historias, modo geral começam, assim....
Era uma vez....esta também assim começa...
uma jovem mulher, desaprendeu amar, esqueceu tudo, a vida levo-a por trilhos onde o amor era palavra vã, todo o seu tempo, era para se esquecer dela.
Era uma mulher como tantas outras, só diferente na vontade forte de querer dar aos outros tudo que não tinha, em querer poder olhar todos de frente, olhos nos olhos...
Tinha uns olhos tristes, sempre com uma sombra a toldar aquele olhar, onde se lia, um caracter forte, com força difícil de imaginar, debaixo daquele sorriso  sincero, nem sempre  fácil de aflorar aos lábios...
Sua vida se resumia, de casa trabalho. trabalho casa.
Seus amigos eram colegas de trabalho; nunca pode ser dada a amizades pois sempre foi proibida de as fazer.
Uma família humilde, um pai que não admitia amigas.
Dizia ele as amigos/as são facas de dois gumes, podes ser muito benefícas com podem destruir uma pessoa que esteja menos atenta, não quero que corras riscos. estas em casa, estas bem...
dizia ele vezes sem conta.
Os anos foram passando, a menina cresceu, virou mulher, como o que o berço dá a tumba o leva, nunca se habituou , a ser expansiva...
Casou, com um homem o oposto dela, mas nem assim, deixou de ser ela mesma, ria, brincava, sempre se sentindo , sozinha.
 Ele, um homem habituado a conviver...  com um circulo de amigos, que a fazia compreender, tão vazia tinha sido a sua vida.   
Mas ela tinha também outra maneira de ver o que se passava a sua volta, não queria ver as atitudes dele que embora escondesse , ela sabia que ele a traia, com todas que lhe dessem um pouco de atenção, não sabia ser fiel a mulher que tinha em casa ....
aos poucos foram-se afastando, emocionalmente, e daquele casamento apenas restou a fachada .
fachada que ia corroendo aos poucos tudo que de bom havia entre eles, chegou ao ponto de nada restar, além dos filhos que ambos queriam preservar.
Ela sempre fez a seu dever, ou o que considerava  ser esse o dever de uma esposa, não a nível sexual,  mas humano.
O juramento da hora do casamento foi cumprido, na integra, sendo ela a força o braço, na hora do aperto, em questão de saúde, sempre o acompanhou, sempre lhe deu tudo , para minorizar o seu sofrimento.
O tempo foi passando, hoje pouco mais resta, além deste sentimento que enche seu peito.
Dois homens que marcaram a vida desta mulher, o pai que de tanto a querer proteger a aniquilou no seu ser mais emocional, e o marido com suas traições, seu amor esquisito de entender.
A vida por vezes é demasiado complicada, gostamos e afastamos quem gostamos, magoamos quem não queremos magoar....assim é a vida de muitas pessoas, esquecidas de amar....
conheço algumas.....LR














Pai




Hoje....sempre...te recordarei... meu pai,
hoje estejas onde estiveres, tens o meu amor....
Se te for possível, recebe o meu beijo...
Daqui do nosso cantinho...
Para ti... que também foste pai...
O pai dos nossos filhos...a minha saudade
A minha ternura...o meu beijo eterno
E tu que já és pai... que me deste os netos 
mais lindos do mundo...3 perolas amadas
O meu muito obrigado pela felicidade
de poder ser avó...
Para todos os pais do mundo, 
vai o meu abraço, dia feliz...LR

terça-feira, 18 de março de 2014

olhos



Sabes quantas vezes,  ...meus olhos se perderam nos teus?!....
sabes!!!
Muitas vezes me pergunto porquê?
Sabes!? Nem eu....Mas tu estas aqui...gravado dentro de mim.
Sabes quantas vezes me pergunto porquê?!
Nem sabes que existo...chegas-te, partiste
tal nuvem de fumo...que se esfuma no ar...
Neste partir, levaste um pouco de mim...
do meu ser...lembro teus olhos...
cravados nos meus...teu olhar maroto...
doce como o mel...cor dos teus olhos
olhos que não esqueço...
Neste doce... amargo ...que deixas-te em mim....
A vida é assim... LR

quarta-feira, 12 de março de 2014

Mar


A vida me lembra o balanço do mar...
onda vai, onda vem...assim é a vida...
assim são as pessoas, o nosso viver...
queremos o que não temos...
desvalorizamos o que temos....
quem sabe um dia, quem sabe?!
a mesma nos mostre, que afinal....
havia de esperar, de conhecer, valorizar...
quando a confiança se quebra , nada repõe...
não volta a ser igual...
Quando alguém te der a mão, te sorrir...
compreende esse sorriso, se não entender,
pergunta, quem sabe te digam,
O sorriso é o que mais bonito o ser humano
nos dá....não custa nada....faz bem a quem dá...
talvez também a quem recebe
onda vai...onda vem...
neste balanço, vão passando os dias...
vamos enfrentando, o menos bom...
ganhado força...
é tão bom... navegar
nestas ondas serenas, ter paz dentro de ti...
não deixares ondas cavas ,
fazer tsunamis...
lembrar os dias de sol, mar...
uma areia limpa...
Vamos não mais deixar
que se quebre a confiança....
valorizar, agradecer,amar
tudo o que temos...
fazer da nossa vida, uma fonte
de gratidão.LR

sábado, 8 de março de 2014

vida

No balanço deste mar ,chamado vida...
me perco ...me encontro....
nestes dias conturbados,
todos quererem ter razão,
sem saber , bem ao certo...
onde busco, encontro... perco...
mil pensamentos, outras tantas incertezas
nada do que faço gosto...
nada do que gosto faço...
as ondas são mares vivas...
vou morrendo pouco a pouco...
deixo pois o meu legado...
obras de arte, feitas de amor
algum saber... muito querer...
Pois cada noite, tem seu dia...
feito retalhos....momentos
formaram horas...horas somadas dão anos
todos eles deram vida...
a vida que Deus me deu.LR

segunda-feira, 3 de março de 2014



Pai
palavra doce
o abraço forte,
Palavra doce
de bom sabor
Pai! abraço amigo
que só contigo
vou encontrar
Pai!
doce encanto
que nos norteia
com seu exemplo
Pai!
davas a vida
pelos teus rebentos
pai!
palavra doce
com outra igual
com só três letras
formam o mundo
de quem deram vida
os vossos filhos
Pai, tu fazes dupla
com a nossa mãe
pois somos 4
pela vida fora.

tens cora certa
deste navio chamado vidaLR

vida



Pai
palavra doce
o abraço forte,
Palavra doce
de bom sabor
Pai! abraço amigo
que só contigo
vou encontrar
Pai!
doce encanto
que nos norteia
com seu exemplo
Pai!
davas a vida
pelos teus rebentos
pai!
palavra doce
com outra igual
com só três letras
formam o mundo
de quem deram vida
os vossos filhos
Pai, tu fazes dupla
com a nossa mãe
pois somos 4
pela vida fora.

tens cora certa
deste navio chamado vidaLR