Pular para o conteúdo principal

semear.....

Todos nós dizem colhemos o que semeamos, duvido e muito...ou talvez não... Foi educada a lembrar o dia da mãe, era muito bom eu adorava. Creci continuei a respeitar essse dia, mas meu marido não tinha sido e nunca ligou, eu achei que não era eu mas ele que o devia incutir nos filhos como eu fiz ao dia do pai... Dia da mãe nunca se falava, resoltado hoje só quem lembra é o mais novo, e a minha nora. Não deixa de ser sem certa magoa que vejo eles os mais velhos, nem lembrar... sei que o não fazem por menos amor, mas são pequenos nadas de que gostamos, com o correr dos anos ficamos mais sensiveis... mas todos somos fruto do que alguém plantou ou semeou, na nossa infancia, sempre ouvi a frase:- o berço o dá a tumba o leva. Nada mais certo. mas há excepeções: em outros assuntos vejo muito boa gente, ter uma vida de total abandono emocional, e insistirem, nessa vida com as alegações mais sem sentido, dessas pessoas tenho pena, não é sentimento mesquinho, é por ver que nunca vão poder ser felizes, falta-lhes a coragem a força, para romper com o que não os deixa ser feliz. Não sou apologista do divorcio, pelo contrario, mas quando não há remedio é mil vezes preferivel que uma vida sem sabor, uma vida em que se somam dias , mas não há alegria, não há prazer no que se vive... Fazem em nome do amor aos filhos, aos netos, um dia cada um ira viver a sua propria vida, quando mais necessitar desse carinho, desse amor, nem se lembra que alguém sacrificou a vida por amor a eles. Não tenho experiencia de viver tal situação, mas já vi em hospitais, pessoas abandonadas, esquecidas, talvez porque alguém se esqueceu do que essa pessoa se sacrificou para os cuidar, se esquecem de quantas vezes, perguntaram alguma coisa porque não sabiam, porque se esqueciam..possivelmente era com abraços e beijos que lhes repetiam as coisas sempre com um sorriso nos labios, agora , que fazem essas pessoas aos seus idosos quando , se invertem os papeis? Todos sabemos, já vimos em algum lugar, nem val a pena falar... Para os nossos jovens, tens mais de 45 anos és velho, velho é lixo... mas deixa lembrar a todo o mundo se não morrerem em jovens é para ai que vão, vamos todos em fila indiana, mas vamos é a lei da vida, um dia lá se chega, e a vida tem sempre troco para nos dar do bem ou menos bem que for a nossa caminhada

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe , filha

Mãe!!!
O teu dia vem ai
embora todos os dias,
seja o dia, dos teus dias...
para acariciar, sorrir , amar...
teus bebes....
Neles te revês e cuidas,
desde o acordar ao dormir,
neles , entregas teu dia...
sorriso bonito, emoldura teu rosto
quando se olham nos olhos,
quando teu marido abraça,
beija e brinca com os pedacinhos dos dois
ali, bem a tua frente...
esta um pedacinho de gente.
que dá luz , dá alegria, da força
para vencer  o dia a dia...
Mãe!
Palavra mágica,
que faz vencer, nos dá coragem
são só três letras
juntas com outra que igual tem
apenas 3 , Pai,
Dupla perfeita que faz regaço
num longo abraço
e já são 4 amores eternos
são pais e filhos
no coração, Mãe,
mulher guerreira, tem dentro dela
força e coragem
para dar alento, aos 3 amores....
são sua vida,
 Mãe
também tu és a vida deles
no amor ternura, forte e profundo
do Dady , nos bebes,
mãe também és filha
que duas mães, amam e querem
Mãe obrigado por seres quem ês LR

O tempo

O Tempo vai passando....
leva e traz pedacinhos, momentos vividos em algum lugar.
coisas que ficaram gravadas na mente , no coração de quem viveu...vive e sente....
Assim de repente, o mundo se agita, tudo toma cor.
Só porque encontramos pedaços, escritos, tlvez vividos, por alguém a quem nunca deixamos de amar.
A vida é assim.
Algures noutra galaxia, tal a imensidão da distancia que vamos ficando uns dos outros...um do outro.
Agora , ao entrar no teu tempo, recordo o meu tempo....o nosso tempo.
Tão curto e tão belo...para quem o sentiu, será sempre enexquecivel.
Pois quando se ama é para toda a vida.LR

era uma vez

Há imensas historias que começam era uma vez. Reais que retratam factos verídicos, outras nem tanto.
Esta historia poderia ser uma mistura de realidade e ficção, porque nem sempre é fácil reconhecer que erramos, vamos levando a vida a pensar mais nos outros que em nós. Não por ser boa ou má, só por covardia, por medo de magoar quem um dia demos vida, deveria ter a coragem de esquecer a outra parte de mim.
Uma vez parece que se ainda se consegue, é tão doce o abraço de um filho, sem duvida que é, só que embora importante não nos completa por inteiro.
Nos momentos de maior solidão, falta a mão que segura a tua, sem palavras, só um doce apertar que te diz estou aqui, não estás só, isso não tem dinheiro que pague, só que o abraço de um filho também não, ai vem a duvida terei direito a ir viver minha vida, e magoar os outros?
Fica aqui num cantinho da tua cabeça, e parece matraca insistente na pergunta, sem dares conta continuas dia após dia na mesma duvida, os dias deram lu…