Seguidores

sábado, 3 de novembro de 2012


O  dia esta triste, dum cinzento chumbo parece que a chuva não tarda a cair.
Amo chuva, mas estes dias cinzentos mexem comigo, parece que fico sem disposição para nada.
Também sinto a tua falta, falta de ver o teu sorriso...
 Ver as montras que abundam por este lado como cogumelos, ver porque agora longe vai o tempo em que via, entrava-se e levava para casa. Longe mesmo acredita.
Agora...nada é como antes...
Havia sempre por esta altura, o sonhar com as coisas que iria dar pelo Natal. Hoje mal me lembro que estamos com o Natal a porta, deixou de fazer sentido...como eu mudei...como nós mudamos...
Em tempos não muito distantes, já havia em casa uma caixa cheia de presentes para todos amigos mais chegados, agora? Só gostaria de adormecer dois dias antes e acordar quando tudo já tivesse passado.
Portugal esta um caos a minha vida também.
A muitos níveis. 
Até no emocional. Incrível. Mas enquanto trabalhei, mal tinha tempo para descansar, barafustava mas não me lembrava que existia, não lembrava que estava sozinha...
Não podia voar não, a minha asa de um lado. Filhos criados, tempo de sobra.
Trabalho nada, estou reformada de tudo menos de mim mesma.
Acordei, uma letargia imensa de mim mesma sentir, que meu coração ainda bate...sinto-me viva...
Só não sei se os traumas do passado me iam deixar ter hoje uma vida normal, se me deixam ficar tranquila em casa enquanto alguém estivesse fora...
Penso que possivelmente iria estar sempre a pensar que mais uma vez estaria a ser o brinquedo de alguém...não. Não.
 Isso esto cheia de indecisões, de vontades por concretizar, de medos por perder.
A minha vida que é? É uma vida diferente da maior parte das mulheres que conheço...
Ainda quero amar alguém, ainda quero superar todo este medo...
Quem sabe? Ainda vou ter asa com que sonho.

Um comentário:

José María Souza Costa disse...

Vim ler a tua textualização. Amei, o escrito. Beijos