Seguidores

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Passaram duas semanas, em que estão a ficar mais fortes, mais observadores também.
Duas semanas em que morro de saudades deles...estão fortes e saudáveis as nossas crianças..
Como pode dois seres tão pequeninos serem tão grandes dentro de nós???
Há muito que tinha deixado de ligar ao Natal, nada me falava da época  em que toda eu vibrava. com o Natal...
Pois bem parece que vou voltar a ligar ao Natal, parece que já quero voltar a fazer a árvore, a enfeitar a casa...
Deram-me o melhor presente do mundo. Bruce e Lara, para eles e por eles tudo quero fazer...
 Não vejo a hora de os ver a correr por aqui, a fazer as tropelias próprias das crianças.
Este ano renasci, este ano voltei a querer viver ...em vez de uma asas ganhei duas lindas de anjo, e quem sabe uma de amor...vamos ver..
O tempo é que vai dizer, por agora não passa, de um convívio ameno  sem nada mais que uma boa conversa em que falamos rimos,e somos felizes assim.
Amanhã a Deus pertence, agora vai ser difícil eu querer ser algo mais na vida de alguém quando tenho a minha tão cheia de amor por estes dois seres que já são grande parte da minha vida.


quinta-feira, 29 de novembro de 2012

somos paralelos

Apetecia-me gritar o que vai dentro de mim...apetecia-me dizer ..vai...não te quero mais em minha vida, vai some de uma vez...mas não sou capaz ....
Há em mim duas forças que de enfrentam, mas não sabem viver sem ti...
Nada é para sempre...nem o bom nem o menos bom...
Mas enfrentar o que ai vem... mas ter a coragem de dizer vai....
nem quero pensar...não sei se foste, vais  ou se nunca iras...não sei ninguém sabe...
mas sei que me estou a afastar de tudo e todos, sei que me nego a sofrer mais...sei que nunca serás feliz ao meu lado...
Teria a tua presença , nunca o teu coração,é ele o que mais quero, é ele quem  te faz gostar...me faz gostar...
vou-me afastar de ti...vou seguir outro rumo..vou viver outra vida...
Eu nada digo...tu nada perguntas, eu nada tento descobrir...porque sinto, sinto a tua ausência...sinto que nada sou...
Somos dois seres que são de mundos opostos, tu sonhas com uma vida de luxo, grandes festas grandes salões...
Eu quero uma vida calma, sem grandes farras quero apenas calma, sossego poder sonhar junto...quero poder acordar de manhã com alguém ao meu lado, andar de mão dada...dormir de cadeirinha..ter um beijo ao acordar ...coisas simples, mas importantes para mim...ser a sombra um do outro...sem no entanto cada um perder a identidade...tudo isto faz parte dos meus sonhos, nada disto faz parte dos teus sonhos...assim somos...assim imagino os meus sonhos e tento adivinhar os teus...
somos linhas paralelas, seguimos o caminho da vida...
Deve estar perto a tua ida em busca da tua felicidade, que ela seja plena , que tudo te faça bem e feliz..
ela e ele dois seres que a vida juntou em caminhos paralelos....

quarta-feira, 28 de novembro de 2012



Hoje voltei a sentir necessidade de falar "calada," falar "contigo",
amigo silencioso que me escuta sem criticas nem enfado, falar apenas companheiro, de tantas horas, boas e más, tanto faz.
São horas em tudo te contei... tudo te disse.
Hoje... só mesmo a necessidade de falar, reatar horas vividas, apenas entre estes dois mundos.
Tão frágeis, mas tão intensos:
O que todos vêem todos conhecem, 
falam, outro....
nem eu conheço bem, mas sei que é também eu.
Falamos com sempre jogando com as palavras, que não procuro, são as que me saem ...
me tranquilizar, que me dão maturidade para poder sorrir, para poder calar.
Saber confiar no amanhã, para também eu olhar os liríos do campo... ouvir os pássaros cantar.. sentir.me pequenina, e a um só tempo feliz.
A vida não me deve nada, tudo me "empresta", eu tenho de agradecer a Deus por isso.
Pois como todos sabemos nada é nosso de verdade, apenas nos empresta para cuidar , amar e fazer crescer...
Agradeço tudo o que tenho , o que gostaria de ter...mas nunca perco a esperança, pois sei que um dia quando o universo achar por bem eu terei o que tanto amo e espero...O Sr. Tempo sabe bem melhor que eu, não o que quero mas o que preciso...eu preciso de ti...porque te amo...

terça-feira, 27 de novembro de 2012



Ele de fatinho azul, ela ao colo do pai, recem-nascidos mas já a minha vida

Da mulher que eu foi pouco resta...
Não se é bom ..ou menos bom.....
Sinto em mim  uma nova mulher a nascer, para a vida,a voltar a ter força para enfrentar o futuro.
Não sei se é mulher ou simplesmente avó, mas sei que ela esta a nascer entro de mim tal fénix  a renascer das cinzas de mim.
As coisas que antes me faziam sofrer hoje fazem-me sorrir...perdi porque nunca foi meu...
O que é meu ainda que emprestado, pois nada do que temos é nosso nem os filhos e netos, a vida empresta para os fazer exercitar o que de bom pode haver dentro de nós...para amar e tentar ensinar a amar também.. mas sobre tudo a respeitar a vida, a natureza, o próprio amor.
Não vou ser hipócrita , dizer que deixei desejar ter uma asa para comigo acabar os meus dias, não . Não deixei....
Sem pressões , sem sonhos, sem querer o que não é nem nunca foi meu...Mas com a esperança que um dia aconteça se acontecer, estou receptiva, e cheia de coragem para assumir.
Será o que tiver de ser, nada mais..se não acontecer? é porque não tinha de ser....vamos adiante...
Tenho dois seres pequeninos a quem vou dar todo o amor e ternura que tenho em mim, a Lara e o Bruce, que mais posso pedir a vida?
Só que os proteja, os ajude a ser sempre humildes. de vontade mas fortes, honestos de carácter, que amem  respeitem os pais para que todos juntos possam ser sempre muitos felizes.
A minha vida hoje esta nestes dois pedacinhos de gente...
O resto é apenas isso....resto

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

A emoção não me tem dado discernimento para vir aqui contar-vos o quanto é bom ter netos.
ver a família a crescer, ver os filhos a ser país...
A vida é o grande mestre, que nos guia, no sentido da partilha, carinho ,compreensão numa palavra afecto
Pasmo como pode haver pessoas para quem o mundo dos afectos não mexe com elas...o mundo das emoções,eu sou muito emoção, até demais reconheço...mas não sei viver de outro jeito.
Não sei ser meio amizade, nem meio amor. Sou ou não sou, ponto final.
Muitas vezes gostaria de ser diferente, mais fria mais calculista, não sou capaz, não sei...não faz parte de mim.
Sabem no dia 15 como vos contei nasceram os meus netos Lara e Bruce, ele muito observador muito serio, ela mais doce, parece que vai ser reguila mas, ainda é cedo para saber.
Mãe e filhos estão bem. Ele um princepe de 2,800kg ela uma princesa de 2,500kg .
Dois pedacinhos de gente, que fazem acelerar meu coração.
A Natasha já tem 14 anos mas continua a ser a minha bebe também, mas já a querer ser uma senhorinha
Obrigado vida pela felicidade imensa de ter aqueles  3 seres que me fazem viver, que me fazem feliz
Alguém conhece coisa mais terna que uma mãe alimentando seu filho?
esta mãe foi uma mãe e tanto, sofreu para caramba, mas esta aqui pronta feliz  . Uma grande mãe e uma grande mulher que Deus colocou na vida do meu filho.
Espero que sempre nas suas vidas haja sempre amor luz e paz amo-vos muitos.
A todos, sou uma mãe orgulhosa de seus filhos, não temos uma vida facíl mas temos muito carinho e cumplicidade entre todos, amamo-nos muito.





terça-feira, 20 de novembro de 2012




Há dias assim...dias em que tudo se torna leve, lindo em que tudo renasce....assim foi o 15 de Novembro, Assim foi  porque Deus, a Marina e o Marcos deram ao mundo estes pois seres que eu adoro....Meus netos. Bruce e Lara.
Não tirou no entanto, o encantamento que à 14 anos me trouxe a Natasha. hoje uma linda Senhorinha.
Assim a vida o mundo tem mais encanto.
Assim eu reaprendo a viver para as coisas simples, para os grandes amores da minha vida, meus filhos...meus netos e claro minhas filhas de coração, as mulheres que eles ama e os fazem felizes.
Talvez um dia eu queira com verdade uma asa, para comigo , dividir tristezas e acabar juntos os nossos dias.
Tive um presente de Natal antecipado , eu que nada ofereço pelo Natal a ninguém tive um presente inesquecivel...

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Sou um homem apaixonado por tudo que é belo, adoro viver, meigo, romântico, sincero, sensível, que sabe ser forte nos momentos precisos.

Aprendi a viver um dia de cada vez, e, a saborear, segundo a segundo, todos os momentos felizes.

Gosto muito de mim!

Quero ser feliz e fazer uma mulher feliz, é o meu objectivo na vida!

Sou muito exigente comigo próprio e com os outros!

Gostaria de encontrar a minha outra metade, ou antes o meu «todo», para isso terá de ser um pouco assim:

Precisa saber falar e calar, sobretudo saber ouvir o que as palavras não dizem.Tem de gostar de poesia, de madrugada, de pássaros, das estrelas, do sol, da lua, do canto dos ventos, da brisa e das canções.

Deve ter amor, um grande amor por alguém, ou então, sentir falta de não ter esse amor. Deve amar o próximo e respeitar a dor dos outros. Deve guardar segredo sem se sacrificar. Não precisa de ser de primeira mão, nem é imprescindível que seja de segunda mão.

Não precisa de ser pura, nem de todo impura, mas não deve de ser vulgar.

Deve ter um ideal e medo de perdê-lo. Comover-se, com situações belas, e menos belas.

Que saiba conversar de coisas simples, de orvalhos, de grandes chuvas e das recordações de infância.

Deve gostar de ruas desertas, de poças de água, de caminhos molhados, do cheiro da terra molhada, de beira de estrada, de mato depois da chuva e de se deitar nele.

E finalmente que se realize ao meu lado, e que me ame..




Este texto não é meu, como devem ter notado, não conheço o autor...mas  é um texto que nos faz pensar.
Será que haverá muitos homens assim? será real ou fantasia?? não sei.
Como disse não é texto meu, mas se for seu , incomodar diga que tiro imediatamente.
Parabéns por pensar assim

domingo, 11 de novembro de 2012

Era uma vez....
assim começavam as historias que ouvia em criança... ainda hoje recordo com uma saudade doce...
dessas saudades que nos fazem sorrir, dá vontade poder voltar lá de novo para ter os beijos, os afagos da minha mãe...
Agora o meu era uma vez é outro...vai levar-me nem sempre para lugares que me sinto bem, com pessoas que amo....tudo muda.
De que vale quer isto...ou...aquilo...a culpa é toda nossa por não saber fazer as escolhas certas, nos caminhos da vida.
Queria saber escolher mas errei...tomei a estrada errada... não veio dar ao oásis, mas a lugar inóspito, aquele lugar onde nada é como ambicionamos..
Coração rebelde só gosta de quem não deve, e o meu era uma vez, não tem Príncepe nem Princesa.
Tem homem e mulher, sente grande de tamanho mas pequena de valor humano.
Ele não sabendo que as suas atitudes iriam ferir , magoar no mais fundo que temos o nosso amor próprio, o nosso ser. Ou até sabendo nada se importa.
ela idiota, incrédula , esqueceu que nem tudo que brilha tem valor, valor moral pelo menos. e foi no embalo da conversa...idiota....
Agora o meu era uma vez, soa-me a falcete não tem encanto, não tem a magia de sonho , nem de amor...ficou foi uma vez
Um amor que de bom nada deixou, só uma raiva , uma vontade de poder apagar, poder sentir que não foi real foi pesadelo ,que mais logo vai acender a luz do quarto,ver que foi só pesadelo, nada mais....na vida nada acontece por acaso ainda um dia ela vai compreender porque teve de viver tudo que viveu e que não a fez feliz...

domingo, 4 de novembro de 2012


Domingo sem história.
Apenas mais um dia, que passou por mim, nada de novo. Nada.

Apenas o silencio me fez companhia, até a ava estava muito caladinha, deitada junto de mim .Hoje  esta a ser longo. Custa a passar. Sinto a tua falta. Ninguém sente a minha. Penso eu.

Sabes talvez eu ter despertado, não esteja a ser nada de bom Sou, sempre foi uma pessoa muito carente, que ama mimar e ser mimada, mas…só eu mimo…só tenho o cuidado de me mostrar como sou para o bem e para o mal…Tenho tantas saudades do teu (amor) pode ser lamecha, pode mas sinto.

Vou aprender a ser assim fria, indiferente…mas não sei se algum dia …não sei.

 Só quando estou fora de mim consigo fazer isso, mas me arrependo logo por ter magoado, mas para magoar é porque estou muito magoada com a pessoa.

Vou mudar, sair de dentro de mim, e namora, Com quem que importa? Se quem eu amo nem se lembra que existo que se lixe.

O facto de ter alguém para quem falar, aquém dar e receber mimo pode ser que a empatia chegue, o amor também

sábado, 3 de novembro de 2012


O  dia esta triste, dum cinzento chumbo parece que a chuva não tarda a cair.
Amo chuva, mas estes dias cinzentos mexem comigo, parece que fico sem disposição para nada.
Também sinto a tua falta, falta de ver o teu sorriso...
 Ver as montras que abundam por este lado como cogumelos, ver porque agora longe vai o tempo em que via, entrava-se e levava para casa. Longe mesmo acredita.
Agora...nada é como antes...
Havia sempre por esta altura, o sonhar com as coisas que iria dar pelo Natal. Hoje mal me lembro que estamos com o Natal a porta, deixou de fazer sentido...como eu mudei...como nós mudamos...
Em tempos não muito distantes, já havia em casa uma caixa cheia de presentes para todos amigos mais chegados, agora? Só gostaria de adormecer dois dias antes e acordar quando tudo já tivesse passado.
Portugal esta um caos a minha vida também.
A muitos níveis. 
Até no emocional. Incrível. Mas enquanto trabalhei, mal tinha tempo para descansar, barafustava mas não me lembrava que existia, não lembrava que estava sozinha...
Não podia voar não, a minha asa de um lado. Filhos criados, tempo de sobra.
Trabalho nada, estou reformada de tudo menos de mim mesma.
Acordei, uma letargia imensa de mim mesma sentir, que meu coração ainda bate...sinto-me viva...
Só não sei se os traumas do passado me iam deixar ter hoje uma vida normal, se me deixam ficar tranquila em casa enquanto alguém estivesse fora...
Penso que possivelmente iria estar sempre a pensar que mais uma vez estaria a ser o brinquedo de alguém...não. Não.
 Isso esto cheia de indecisões, de vontades por concretizar, de medos por perder.
A minha vida que é? É uma vida diferente da maior parte das mulheres que conheço...
Ainda quero amar alguém, ainda quero superar todo este medo...
Quem sabe? Ainda vou ter asa com que sonho.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

sonhos


Muitas vezes o que chamamos de sonho mais não é que o querer viver ainda que no faz de conta o que não vivemos.
Sonhar como amor que não temos, a vida que não vivemos, mas…sonhamos. Imaginamos tudo que gostaria de viver umas boas…. nem tanto, nesse bocadinho, no nosso mundo podemos ser o que sonhamos sem interferir com nada nem ninguém.
Nem todos entenderiam o que digo. Teriam de passar pelo mesmo que eu passei, isso é impossível pois não dei meus sapatos a ninguém para palmilhar o mesmo que eu.
Sempre sonhei com o amor. Sempre quis ser amada pelo que sou pelo que sinto, não aconteceu azar o meu. Teria de ser esse o meu caminho? Não sei, só sei que foi.
Nunca pensei nem sonhei com grandes luxos, grandes carros, não.
Sonhei sempre com uma casa acolhedora, simples mas confortável onde com alguém que eu amasse e me amasse também viveria com nossos filhos. Hoje com o passar dos tempos, olho para trás, vejo eu?
Uma vida sem sentido junto de um homem que de verdade nunca me amou, eu foi apenas o trofeu uma miúda com alguns anos mais nova que o amou, que lhe dedicou uma vida, 20 anos, lhe deu 3 filhos que eram o seu orgulho de pai mas não só, da sua masculinidade.
Que tinha montes de mulheres, vivia comigo e com todas de uma maneira ou de outra, dormia em casa nada mais que isso. Mesmo assim a parva aqui estava lá, para ajudar, ser o ombro nas horas de dor, não nas horas de prazer. Essas eram vividas com as outras. Daria pano para mangas expor aqui tudo porque, passei mas não quero. Apenas falei nisso para me fazer entender porque acho que nunca foi amada de verdade. Nunca vivi o que sonhei um grande amor.
De tudo que vivi, só uma coisa faz valer a pena. Meus filhos. Que são o meu orgulho.
Trabalhei em tudo que pude. Mas criei os meus filhos. Como marido era uma nodoa, como marido, um exemplo como pai.
Hoje sinto que falhei em tudo como mulher, como mãe não. Mas a mulher que há em mim sente-se muito carente de tudo.
Saudade de tudo que sonhou, e nunca teve é controverso mas é real. Fica este buraco, esta solidão. Convive comigo a tantos anos que chego a pensar que não saberia hoje ter uma relação.
Fico-me por aqui por estes desabafos. Com estes deitar para fora, esvaziar o sofrimento que se esconde muitas vezes debaixo de um sorriso, deste medo de nunca conseguir ser eu.
 Traumas embora eu não diga. Brinque de gato e rato comigo mesmo. Uma coisa teme sim. Não saber amar. Não saber dar e umas coisas me parecem de mais outras, insuficientes…
Agora neste Outona da vida em que a solidão machuca no fundo de mim. Agora que sonho dividir a minha vida com alguém, nunca serei capaz de o fazer o medo é cada dia mais intenso, medo de voltar ao mesmo suplício dourado em que todas pensavam que era uma pessoa feliz quando a D. Felicidade passava tão distante, paradoxo, assim eu sinto falta até desses dias não tinha o que tanto queria mas tinha alguma coisa, não tinha mimo mas tinha aquém dar, era um prazer ver os olhos dele a sorrir quando ao acordar, um mimo, lhe levava uma flor, eu nunca tive, mas…Para mim era normal, não falava com ninguém não sabia o que os outros viviam pensava:- são todos os homens assim.
Só vim que não quando entrei um dia no posto médico e vi o meu marido dar a uma colega o mesmo gesto que havia recebido, colheu uma flor quando entrei e vi eles a beijarem-se ela com a flor na mão.
Deu a desculpa que era o filho fazia anos. Ela era viúva. Muito mais tarde vi o que era. Depois percebi o quanto foi pateta. O tempo passou. A vida mudou, eu mudei, mas de casa de lugar.
Fiquei viúva e em pleno funeral ela vem ter comigo e diz-me que ele morreu ao lado dela como queria que acontecesse morreu feliz.
Mais um trauma a juntar aos muitos que já tinha tido.
Hoje paro para perguntar a vida, ao cosmo.
Foi para isto que vim a terra? Foi para viver isto que nasci? Nunca vou viver a vida a dois que sempre sonhei. Sonho tão pouco afinal… amor, um lar, onde haja compreensão carinho, cumplicidade onde dois seja só um. Onde o olhar para a estrada da vida vá na mesma direção. Onde seja a dois…Será possível?
Estes são os meus sonhos…quem sabe um dia seja realidade, veremos….

escrito em novembro 2011

Tudo é vago... nada tem valia basta apenas um dia para que a vida, 
te tire do sério.
Revoltas-te, e lutas, mas nada se altera
a vida é assim;
tens um caminho que tens de seguir,
olhas ao redor, mas nada se acalma, para não gritares
ficas calado, consegues sorrir, e todos confundem, 
pensam que estas bem.  
Quando no teu eu o mundo se agita, todo tu gritas
sem nada dizeres.
Sorri... aprende a sorrir, comanda teu eu,fecha os punhos, serra os dentes...
mas... sorri o resto que importa a vida não pará, tens de ter força para seguir em frente
se quiseres ser gente
a vida é assim;
tens um caminho que tens de seguir,
olhas ao redor, mas nada se acalma, para não gritares
ficas calado, consegues sorrir, todos confundem, 
pensam que estas bem.
Quando no teu eu o mundo se agita, todo tu gritas
sem nada dizeres.
Sorri... aprende a sorrir, comanda teu eu,fecha os punhos, serra os dentes...
mas... sorri o resto que importa a vida não pará, tens de ter força para seguir em frente se quiseres ser gente.  Com verdade, muita coisa que parece hoje amanhã não é.
Sentimentos mudam, tu mudas..
O Amanhã já não tem a mesma força, Pode ser maior ou menor mas já não é a mesma.
O que hoje te faz gritar , faz-te meditar crescer, no sentido mais lacto da palavra.
Mas haja o que houver nunca deixes de sorrir, faz bem a ti e a quem o dás o sorriso cura feridas, alivia dores , dá tanta suavidade a quem o dá, um bem imenso a quem recebe.
Amo-te  e amo o teu sorriso.






DIA 1 DE NOVEMBRO
Para uns dos mortos, para outros dias das bruxas. Para mim um dia a mais para viver, a menos para ser vivido.

Esta triste parece que vai chover a qualquer momento, o céu carregado…
Apesar de assim pensar, não estou triste, talvez o dia me faça sentir ainda mais a falta dos que partiram, meus pais, meu marido, a quem já perdei tanta coisa, só ele sabe e eu. Mas agora não importa.
 Só espero que tal como a minha filha tudo esteja bem e em paz. Se fosse a enumerar um a um não saia daqui hoje.

Olho através da vidraça, e lembro das piores mortes que existe, os vivos mortos, aqueles que estando vivos, morreram dentro de nós. Em algum lugar já fizeram parte de nós …agora nem nos lembramos que existem…Porquê? Que será que nos faz ser assim? Não sei. Talvez pelo que nos fizeram sentir, talvez por não serem afinal tão importantes como levamos uma vida inteira a pensar que eram…não sei…

Muitas vezes dou comigo a pensar sobre isto tal como agora. Mas só o silêncio, por resposta. De quem será a culpa? Minha? Tua? Que importa agora. Mulher não é bicho tranquilo. Mas se menos prezam sua inteligência tentas fazer de parva, cuidado ela vira bicho. Ai não há ninguém que a segure e tudo que viveu recalcado dentro dela explode. Aí restam os cacos. Não servem nem para contar a história de tão fragmentados que estão.

Mas esqueçam este meu desabafo. Já passaram muitos anos,  meses ou dias, que importância tem? Passou.

Agora quero apenas fazer deste dia triste, um dia mais alegre, um dia positivo. 
Quero ouvir os pássaros cantar mesmo debaixo da janela do meu quarto. Olhar a serra que esta coberta de névoa mas linda apesar de tudo.
Tenho a minha amiga aqui, deitada aos meus pés depois de ter pregado um grande susto.(ela é a minha amiga de 4 patas, a Ava) Fugiu com um cão abandonado que anda por aqui. O Pachola. Claro quando a princesa da casa saí, quase fico em pânico, a caça aberta. Um tiro perdido, não? Pois foi assim que morreu o meu gato a dois anos atrás.

Olho através da vidraça, a chuva começa a cair, ainda de mansinho mas promete, ir mais além…faz falta para os campos, mas sinceramente eu amo chuva, adoro caminhar no chuva, sentir o rosto fustigado por ela, quando o vento não vem perturbar a minha relação. Sentir o cheiro da terra molhada…mais não é que assistir à fecundação da mesma, se vem na medida certa nada é por acaso na mãe natureza.
 As folhas de hoje, são fertilizante amanhã, para que as próximas folhas possam ser fortes e brilhantes

Bem perdi-me em considerações. Venho sempre aqui falar com este meu amigo silêncio, Que mais não faz que levar para o vento as palavras que não digo mais que lhe são confidenciadas ao ouvido….