Seguidores

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Neste dia de Outono, onde a Natureza parece querer vestir  de ouro as copas das árvores, onde tudo tem tom nostálgico. mas lindo.
Tudo tem sua beleza, esta é uma beleza serena, que nos dá uma sensação de calma, nostalgia também ...mas é saboroso,sentar aqui debaixo desta árvore imensa e ficar a observar.
Tal como a natureza também estou no outono da vida...
Uma vida cheia de coisas , boas e outras menos boas..aqui vista ao longe no ecrã das minhas memorias, não sinto dor nem raiva, só saudade.... Do que tive e perdi...perdi muita coisa, o perder coisas não me afecta nada de nada.
Sempre acreditei que aquilo que temos nada é nosso, a vida empresta-nos para usufruir, talvez para nos dar a sensação de posse que não é real...se fosse nosso quando partimos levava-mos e nada se leva alem de nós mesmos e algum trapo que nos queiram vestir, tudo passa....
Até as pessoas que mais amamos não são nossos. Ou melhor. A vida dá a possibilidade de os ter connosco, crescem connosco, temos de os educar o melhor que podemos ou sabemos, os anos vão passando e um dia  levantam voo, seguem seus próprios destinos..
 E lá vamos nós , agora já no Outono da vida...uns sozinhos tal como eu.
Outros tem a sorte de ter a outra asa, a asa que os faz voar, no companheirismo , na cumplicidade na ternura...na vida...
creio que deve haver montes de pessoas como eu, esquecidas delas para lembrar os outros, sejam quem for, um dia sem dar por isso, olham para dentro delas mesmas e vêm que estão sozinhas carentes de afectos
acordam sozinhas...adormecem sozinhas. Tentam não ficar amargas.
Esquecem o que são as gargalhadas, de uma inofensiva brincadeira a dois....esquecem o que é levar e receber um mimo pela manhã, tão simples como uma flor ou um beijo ao acordar.
Um dia acordam e dão por falta de tudo que compõe uma vida a dois .
Não existem, estão fechadas dentro delas mesmo.
Perdem o gosto por se arranjar, por viver em vez disso somam dias , meses, anos....
O rosto que antes era alegre, feliz , tem agora as estradas das suas vivências..os olhos perdem o brilho da alegria, são apenas olhos...
Digo não. NÃO quero ser assim.
Não quero perder  o brilho dos olhos.
Não esquecer de amar
NÃO. Não quero
Preciso de me sentir viva, preciso de ti, porque te amo.
Não quero engrossar as grandes listas de pessoas sem esperança.
Estou aqui, viva e amo-te.








Nenhum comentário: