Seguidores

domingo, 1 de abril de 2012

Nesta noite fria, meu coração bate forte, triste mas leve.
Afinal dizer a verdade, nunca fez mal a ninguém, dizer o que sinto e penso sempre foi o meu lema.
Me ensinaram a ser aberta a falar daquilo que me magoa dentro do peito, e embora as vezes tenha um preço elevado, não vou mudar.
Mudar seria ir contra o que sinto, não seria eu , mas algo em que me iria transformar,  o meu eu viria a tona de água, e ai seria falsa.
Não . Não quero parecer o que não sou. Mas  ser o que sou, as vezes é complicado. Dizer as verdades do que sentimos, é uma faca de dois gumes. Pois seja. Pois sei que só vou perder o que nunca foi meu, mas vou ser eu mesma.
Me acusa de tudo menos de falsa, pois não o sei ser. Infelizmente as pessoas estão habituadas a viver junto com mentiras, não que as digam, mas que as temam e não sabem ver a verdade a verdade as vezes choca mas não deixa de o ser.
Neste mundo em que vivemos, é tão difícil , ser compreendido e compreender, mas que fazer?Esperar que o tempo, a vida mostrem , e quem quiser acreditar ver que a verdade esta ali bem junto de nós e não a vimos.
sinto-me qual viajante que segue solitário numa estrada paralela

2 comentários:

Andradarte disse...

Que nesta Páscoa sinta que o viajante solitário, vai direito ao vértice da
estrada paralela...
Boa Páscoa
Beijo

✿ chica disse...

Profundo teu texto e sentir.

Vim desejar uma Páscoa alegre e feliz!beijos,chica