Seguidores

sábado, 4 de fevereiro de 2012

neste cantinho que é o meu, venho para falar sozinha, esquecer umas vezes outras deitar para fora  tudo o que vai dentro de mim.
Nem sempre os dias são de sol, nem de invernia dentro de nós.
Como nem sempre rimos ou choramos, á coisas que doem tanto que nem conseguimos fazer uma ou outra coisa, ficamos estáticos como petrificados.... mas estamos vivos.
queria dizer tanta coisa mas estou vazia, não sei coordenar nem sentimentos nem ideias... um dia quem sabe eu volte aqui, mais serena, mais eu, agora sou o que resta de mim. Beijo e abraço a todos/as...

2 comentários:

Joana Silvestre disse...

No tempo das amoras está de volta com mais desenvolvimentos na história da Rosa e do Miguel e outras com cheiro frutado de amor e mistério.
A não perder em
notempodasamoras.blogspot.com

Diamantino disse...

Boa-noite solidão
Vi entrar pela janela
O teu manto de negrura;
Quero dar-me á tua mão
Como a chama duma vela
Dá a mão, á noite escura

Os teus dedos, solidão
Despenteiam a saudade
Que ficou no lugar dela
Espalhas saudades p'lo chão
E contra a minha vontade Lembras-me a vida com ela

Só tu sabes, solidão
A angústia que traz a dôr Quando o amor, a gente nega
Como quem perde a razão
Afogando o nosso amor
No orgulho que nos cega

Com o coração na mão
Vou pedir-te, sem fingir
Que não me fales mais dela
Boa-noite solidão
Agora quero dormir
Porque vou sonhar com ela