Seguidores

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Já em tempos falei, neste viver ou sobreviver.
Hoje, nesta noite, em que a chuva fustiga o vidro da janela, aqui do quarto, não consigo ficar indiferente.
Como iram passar os sem abrigo? E são tantos...
Pessoas que por um motivo ou por outro, foram parar a rua fazendo delas a sua casa. Perderam o aconchego  dos seus familiares e amigos.
E com tudo isso o ter um prato de comida, quente, que lhe aqueça a alma.
Nesta noite de chuva e frio. Não posso deixar de abordar o assunto.e de me sentir triste com tudo isto.
 Todo o contesto que nos cerca, o desemprego a carência que todos nós de um modo ou de outro.
 Mas eles o sem abrigo, como passarão a noite?!
E as crianças?. Crianças que começam a lutar pela vida da maneira mais dura.Nós, apesar da luta ser dura nem nos apercebemos, como somos preveligiados, temos um cantinho.
Dormimos numa cama quentinha . Uns ao lado de quem amam, e dos filhos,  nem se dão contadas dificuldades, sofrimento dos que nada tem, tendo  por tecto as estrelas, por cama as pedras da calçada, por edredon, uma caixa de cartão.
Sem um carinho , um beijo um abraço, que revigora a alma.
As vezes  um abraço, uma palavra amiga pode ser uma ajuda preciosa, num momento de angustia e solidão.
que todos nós juntos  tenhamos a coragem de olhar enfrentar e dar, nem que seja só um gesto ou palavra de conforto.

Um comentário:

VeraBruxa disse...

Passo prá dizer olá e divulgar trabalho da minha nora: www.buchholz.com.br
Um gesto de carinho transforma.
Abraço.