Seguidores

domingo, 30 de outubro de 2011


Nesta noite especial, noite em que muita gente brinca, mas noites das bruxas, eu dou comigo a pensar, e a lembrar uma velha historia.

Quando era miúda, minha mãe dizia muitas vezes a preposito de me chamar atenção , para que nem todos vemos as coisas pelo mesmo prisma.
Contava a historia de um barquinho que deixa o porto , e vai mar dentro, os que ficam em terra muitas vezes choram, porque o perdem de vista, sem saber o que aconteceu, enquanto noutro ponto alguém os vê chegar e fazem a festa, e assim é a vida enquanto uns choram outros riem, uns partem outros chegam.
Assim é a vida da gente, quem sabe chore para outros rirem... é a lei da vida e das coisas.
Vou tentar lembrar da historia de minha mãe.
 Meu pai dizia que eu era café, por ser frontal, por nunca fugir aos meus sentimentos, por me fortalecer mas minhas fraquezas.
 Hoje mais que nunca, tenho de me lembrar disso  lembrar, o que os meus bons velhinhos me ensinaram .Fazer uso do que aprendi.
O tempo esta sereno. Avida vai se levando, mas esta solidão que voltou e desta vez não como amiga, faz minha cabeça mais parecer uma tombola, onde o tudo e o nada se confrontam.
Dicas do feng shui para casais e solteiros em busca de amor
Por mais que eu tente superar ela vem sempre como uma voz interna que buzina ao meu ouvido o tempo todo.
E eu aqui fingindo nada ouvir, nada entender, apenas porque quero ser eu a comandar a minha vida, a pensar o que quero e o que rejeito.
Nosso coração é tão teimoso, não me ouve não faz o que lhe digo, e continuo teimosamente a pulsar por quem não deve, ser opção não faz bem a ninguém, a mim inclusive.
 Mas entendo que é esse o jeito.
Um jeito que magoou o peito, que me faz andar sem saber ao certo, se aquilo que quero  se aquilo que gosto eu devo lutar, ou deixar andar... o tempo é o nosso melhor conselheiro. è verdade ele tudo dá , mas... também tudo tira.
 Ficamos assim sem saber ao certo o rumo a tomar... sem saber ao certo se è certo ou errado aquilo que eu quero, aquilo que eu sonho. 
Mas nunca eu vou querer deixar de sonhar, era deixar de viver, mesmo assim teimosamente não sei porquê, mas quero ser eu.
 Quero sempre ser. Ser é a minha essência, é a minha luta.
Talvez ninguém me entenda. Seja o meu eu teimosamente a lutar com os meus próprios sentimentos.
 Quem sabe?? Mas quero seguir adiante,andar , pelo prazer de andar, sem pensar em nada,pois sei que o que mais quero nunca será meu, porque tudo na vida tem seu tempo, e a ilusão de que ainda estaria para chegar meu próprio tempo, vai se diluindo aos poucos deixando este sabor amargo , e ao mesmo tempo uma saudade doce, é o sabor da minha vida agridoce, assim. sou eu

sábado, 29 de outubro de 2011

O sol voltou, envergonhado, parecendo criança que apronto arte, mas voltou.
Como a dar alento, a mostrar que a vida pode ser mais bela, mais feliz quando ele reina.
Hoje sábado. Sempre ouvi dizer que não há sábado em sol nem domingo sem missa, o que não é verdade.
Sábado Domingo. Os dias piores . Os mais tristes para quem como eu vive sozinho. Sozinho porque não quero viver a vida de ninguém, e talvez a vida que eu queria não pode ser minha.
Só queremos o que não podemos. Mas muitas vezes , o que podemos não queremos.
Mas com este sol, a convidar-me vai para a rua não lhe vou resistir e vou, passear ver os campos, caminhar cansar-me um pouco, assim não penso.
Preciso de andar, os anos não podem impedir-me de ser eu, o tempo é meu aliado, vou andar tirar uma fotos do que me chamar atenção, para vos mostrar como podemos transformar um dia super chato num dia mais leve mais sereno.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Já em tempos falei, neste viver ou sobreviver.
Hoje, nesta noite, em que a chuva fustiga o vidro da janela, aqui do quarto, não consigo ficar indiferente.
Como iram passar os sem abrigo? E são tantos...
Pessoas que por um motivo ou por outro, foram parar a rua fazendo delas a sua casa. Perderam o aconchego  dos seus familiares e amigos.
E com tudo isso o ter um prato de comida, quente, que lhe aqueça a alma.
Nesta noite de chuva e frio. Não posso deixar de abordar o assunto.e de me sentir triste com tudo isto.
 Todo o contesto que nos cerca, o desemprego a carência que todos nós de um modo ou de outro.
 Mas eles o sem abrigo, como passarão a noite?!
E as crianças?. Crianças que começam a lutar pela vida da maneira mais dura.Nós, apesar da luta ser dura nem nos apercebemos, como somos preveligiados, temos um cantinho.
Dormimos numa cama quentinha . Uns ao lado de quem amam, e dos filhos,  nem se dão contadas dificuldades, sofrimento dos que nada tem, tendo  por tecto as estrelas, por cama as pedras da calçada, por edredon, uma caixa de cartão.
Sem um carinho , um beijo um abraço, que revigora a alma.
As vezes  um abraço, uma palavra amiga pode ser uma ajuda preciosa, num momento de angustia e solidão.
que todos nós juntos  tenhamos a coragem de olhar enfrentar e dar, nem que seja só um gesto ou palavra de conforto.

domingo, 23 de outubro de 2011

Miniatura
Há temas musicais, que nos marcam , de uma maneira ou de outra. Há vários temas que marcaram a minha vida,e não deixo de me emocionar até as lágrimas, de felicidade, saudade ou dor.
Estou a ouvir a cavalgada, uma das que fez sonhar, sozinha...imaginar o que para mim era pura utopia e ...depois,  foi a mais bela surpresa que a vida me reservou.
Esta era o sonho puro, guardado no coração de uma mulher menina .
 Mais tarde veio outra  melodia.
Sempre na voz do inconfundível Rei Roberto Carlos, homem de voz doce, singela, que com as suas interpretações nos prende e nos ajuda a sonhar, não esquecendo as belíssimas orquestrações que o acompanha, juntos fazem as delicias de todos.( O amor é mais,) É para mim o mais belo hino ao amor, que nos embala e nos envolve no sonho puro, e lindo que é viver um grande amor.
  Lady Laura não consigo controlar a lágrima teimosa que rola em meu rosto, me lembro de tanta coisa,tantas mães, quantos meninos choraram na vida pela falta delas...

sábado, 22 de outubro de 2011

Hoje  como ontem, amanhã quem sabe?
A vida esse bem tão pouco valorizado. O Dom de poder sentir, ver, sonhar, de poder dizer  a quem se gosta te amo.
Porque será que o ser humano tem tanta dificuldade em expressar os sentimentos? Em colocar perante o outro o que sente?
O Amor é como uma plantinha, que vai nascendo , crescendo, criando raízes, é preciso cuidar dela com muito carinho, é preciso que ninguém se esqueça de lembrar o outro do que sente.
Nós humanos, temos muita dificuldade em colocar para fora o que nos vai na alma,em nos despirmos perante o outro , não de roupa mas de preconceitos.
Ontem já foi...amanhã ainda vem longe, nem sabemos se o vemos, então vamos todos aproveitar o hoje, o presente. Dando o presente do nosso sentir, aos que amamos, vamos dizer amo-te, abraçar, rir, com quem faz parte das nossas vidas. Não sei .Amanhã  ninguém sabe se um dos nossos já partiu, seja quem for é um dos que amamos, ou nós mesmo.
Eu digo muito facilmente a quem gosto, amo-te...gosto de ti.
Vamos dizer agora que o presente , nos permite, amo-te...amo-te muito. Que em nenhum de nós fique a dor de não o ter feito, e á agora que andamos todos por aqui, que devemos dizer gosto de ti ..amo-te

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Parece que agora a chuva esta para ficar.  Adeus calor até a próxima.
recados orkutE espero que ainda nos vamos encontrar. Sabe senhor tempo, apesar do frio que ai vem,e de eu muito sinceramente não gostar nada. Do frio, mas gosto de caminhar na chuva, sentir seus pingos no rosto. Lembro-me de quando era criança, levar grandes raspanetes, por assim fazer.
Há muitas crianças que tem amigos imaginários, e eu como sempre foi muito solitária, achava que a chuva era as lágrimas de meninos que como eu não podiam brincar na rua, nem ter amigos em casa.
Agora, passados tantos anos, e talvez por ter percebido que nada é o que imaginamos,eu me esteja a sentir a criança, de outrora, triste e solitária como sempre.
Acho que faz parte de mim mesma, gostar de quem não devo, e embora rodeada de pessoas me sinto só, sem asa para voar.Só uma me fazia sentir, gente, me fazia sentir feliz.
A vida começa a cada novo dia.
Este presente que temos em poder olhar o céu, ver este sol maravilhoso, sentir a brisa da manhã,ainda que a
solidão por vezes seja dura.
Mas que fazer? Enfrentar, seguir em frente, erguer a cabeça , e pensar.
Cheguei aqui, quem sabe consiga ir mais além. Parti uma asa mesmo assim, vou aprender a voar.
Desta vez voltei ao convívio de todos, estive meio ausente, mas estou a voltar.
Dando e recebendo amizade,dando e recebendo o carinho habitual das minhas amigas todas..../os...
Estou insegura, mas viva. Triste, mas quem sabe logo vai passar

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Falamos das crianças , das birras tão pouco convenientes, e que devem ser habituadas em casa , a certas normas para as não terem na rua,
Pois segundo sempre aprendi, é em casa que educamos os nossos filhos.
Mas como fazer perante a birra de gente grande?
Como fazer para mostrar , que birras é mau? Como fazer compreender, que as coisas que se falam , podem ser sem intenções dúbias, sem querer magoar ou tocar num ponto mais frágil de ninguém.
mas as coisas as vezes são bem difíceis de entender, e de nos fazer entender...
E por muito que se goste, não somos perfeitos e erramos até quando pensamos estar a fazer o melhor para dois, sem prejuizo para quatro.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Neste cantinho, feito para quebrar minha solidão, minha vontade de estar com o mundo e comigo mesma, mudou, porque eu como todos também mudei.
Hoje não sou mais a mulher solitária, que aqui começou, mas não sou mais feliz.
Hoje, vivo da recordação do ontem, e na esperança do amanhã.
Hoje presente da vida, presente do ser, pois sempre tento ser.
Tendo com guia, o que me ensinaram, o que aprendi, e sobre tudo o que vivi.
Com quem vivi. E pode ser pouco , mas é tão intenso, tão feliz, em coisas tão simples, mas tão naturais e boas que tudo me parece, ser sonhado em noites de insónia.
Caminhar abeira rio, ver os pássaros ali ao lado, como a dizer-me, sejamos livres , deixem-nos ser livres, sem amarras nem tabus.
É dessa boa recordação do ontem que vivo o hoje, e quem sabe sonhe com o amanhã....

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Mais um feriado. dia quente como a dizer o verão ainda não foi, estou aqui.
Dia em que , depois de uma noite sem sono, numa amena cavaqueia, horas passaram, leves serenas risonhas, em que minha alma ficou leve, meu coração encantado.
A vida tem destas coisas. Há que saber compreender, as vezes,  tudo na vida tem volta, tudo na vida dá troco.
E como diz o ditado, depois da tempestade vem a bonança, também depois de uma noite , estrelada nasceu um dia sem sol. Não do astro rei, não, desse houve sol para me lembrar, que a vida é mesmo assim, e que é pela boca que modo geral o peixe morre? pois é isso mesmo.
Mas nada que uma boa conversa não resolva, isto tudo para vos dizer, que embora triste, nada consegue mais fazer-me desesperar, nada volta a colocar-me no fundo do poço estou a ganhar anti.corpos. E depois quem sabe também me divirta com tantos de vos num site divertido.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Por vezes , andamos e não vimos, não reparamos o que vai a nossa volta.
Eu peco muito por isso, ando cá a pensar na minha vida, ou na falta dela, e nem me dou conta, de que na minha mão tem 5 dedos e nenhum é igual.
apotheker berät eine kundin mit schal
Assim é homem mulher. Somos iguais sendo diferentes. Talvez seja nesse diferença que reside o encanto, não sei.Mas sei que é delicioso. olhar com olhos de ver de entrega, e reconhecer que para se ter certas , atitudes é preciso amar, não da maneira que muitas vezes nós mulheres gostaria mos, mas amar

Quantas vezes, somos injustos? quantas vezes? E tudo porque um bicho maldoso chamado ciume nos atormenta, uma vezes com motivos outros sem eles, ter confiança em nós mesmos, e no outro seria o quanto bastava para não mais haver, escaramuças, para não mais haver momentos menos bons.
A ti Dino , o meu muito obrigado, tu sabes porquê. Mas eu digo. Por me ajudares a crescer como pessoa, , por me ensinares a ver a vida com os teus olhos. Ati e a todos que ao longo deste tempo me deram força, o meu muito obrigado. Vou tentar não desapontar ninguém