Seguidores

quinta-feira, 25 de agosto de 2011


Já há vários dias, que me sinto como que amputada, Falta-me uma asa.

Asa emprestada, asa usada .  Falta-me.
Nasce um nó na garganta,  aperto no peito, tudo porque a minha asa voo, rumo ao lugar que escolheu.
Rumo ao seu querer, seu sentir. Eu fiquei quieta, quase estática.
Falar não vale a pena ninguém me entenderia. Por isso, meu nó na garganta cresce, por isso  solidão dói.
Mas há que reaprender a voar.
 Há que seguir em frente. Com dor? Com magoa? talvez. Mas que importa?
A vida vai seguir o seu curso, indiferente a tudo e todos, e eu sou uma gota de água, no mar da vida, uma gota de água, que tem de crescer, que tem de aprender a virar copo, depois quem sabe rio na vida de alguém.
Rio de ternura, rio de amor, e não essa gota e água, que se dá quando não tem mais nada . Busca, se um pouco de consolo.
A vida passa, e cada minuto é único, vou pois viver cada um, indiferente ao que se passa ao meu redor, vou ser o que nunca achei certo, mas vou. 
Ser eu mesma. Indiferente  á vida que me tem passado ao lado sem eu nunca a viver. Vou viver, custe o que custar ou a quem custar

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

No Face Book, coloquei um video, que nada  tem de especial para os outros mas que me é muito querido, pois é o fadista da minha vida, o fadista que eu mais amo, Meu filho.
Claro que ele não é nada disso, é apenas um homem que numa noite de boa disposição, cantou, como sempre canta entre amigos, e resolvi dividir convosco, coisas de mãe galinha. rsrsrsr
Mas que ele não achou graça nenhuma.
Meu filho, a meu ver tem uma voz que se fosse trabalhada daria uma voz e tanto.
Pena ele não ter , vontade para trabalhar a voz.
A todos os meus amigos, eu dedico a voz do meu homem muito querido, Meu filho.http://www.youtube.com/watch?v=60wfp-QK8bs
Junto o link para quem quiser ouvir e dar-me a sua opinião.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011


Hoje andei a passear, pelo (Tempo ,) andar por ali é rever  , as memorias e as coisas de alguém que me é muito querido.
È aprender em cada linha o valor de uma pessoa que muito amo.
Andar pelo tempo, reler cada sílaba de algo, que já li faz tempo mas que me continua a emocionar, cada dia que leio descubro algo que me passou despercebido, e me faz admirar mais o autor pois sei ser verídico.
Como era possível um adolescente ter capacidade de viver tais coisas e ficar a ser um homem de bem, de força, e de formação tão integra? Hoje por tudo e nada , se diz que os nossos jovens tem traumas, porque não se pode comprar a consola x, ou porque o jogo y esta esgotado.
Tudo se faz pelos nossos filhos: mas, muita boa gente esquece que é mais necessário o amor que os bens materiais.  Compra-se tudo, dá-se tudo, porque se compra os próprios filhos e se lhe mostra que tudo depende do valor material, quando lhe deveríamos transmitir o valor emocional o valor afectivo, esse não à dinheiro que compre.
É tão simples,  tão bom , passear de mão dada,  ver as coisas do dia a dia com olhos de ver., sentir aquele abraço. Hoje andei a passear, pelo (Tempo ,) andar por ali é rever  , as memorias,  coisas de alguém que me é muito querido.
Quase pode sentir o teu abraço carinhoso , que tanto pode ser de filhos para pais, como de pais para filhos , não esquecendo de companheiros de vida sejam casados ou não.
Andar pelo tempo, visitar todos os lugares que ele nos mostra, ler ou reler tudo aquilo faz bem a nossa alma, e nos dá vontade de dizer obrigada Dino. Obrigado por nos ensinares a ver e aprender contigo, e as tuas lições de vida. Eu amo-te.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Estamos em Agosto , mês por execelencia de festas e romarias de cidades e de aldeias.
Aqui neste bocadinho de chão da zona Oeste, não podia faltar. aqui vos mostro um bocadinho  das festas de aldeia, bem jenuina, aqui da minha aldeia.









domingo, 14 de agosto de 2011





Assim são as imagens da minha aldeia,  assim é as gentes da minha terra, simples,  mas muito amigas do seu amigo.

Assim são as festas de igreja da minha aldeia



Por varias vezes, vos falei das festas da minha aldeia. Hoje trago duas ou três fotos .

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Deixei passar o dia, mas não esqueci o trabalho, e a obra.
Lamento que  agressividade, espalhada pelo mundo, seja para tirar a vida de alguém.
Lamento que uma viagem de amizade ou amor não sei, tenha acabado, desta maneira trágica.
Pena que quem o fez , não tenha percebido , que ninguém é de ninguém, e se já não era desejado deveria seguir seu destino, e deixar os outros seguir também.
Perdeu-se uma vida, um valor dentro da blog-esfera.Pena que tenha sido assim.
Ele seguiu o seu destino, passou a tal barreira, que todos passaremos um dia.
E pela certa, quem lhe tirou a vida , não perdeu só o que queria a força conservar, como ainda a mulher que dizia amar.
Pena que o nosso mundo se esqueça , que violência gera violência. Ter alguém ao nosso lado por pena, por solidariedade... eu não queria isso para mim.
Esteja onde estiver Sr. Rolando Palma, daqui lhe presto a minha singela homenagem.
Quem assim defende uma amizade,  deve ter sido uma pessoa muito especial.

sábado, 6 de agosto de 2011

Tenho de começar por pedir desculpa a todos os meus queridos amigos/as, pela minha falta.
Sei que estou em falta com todos, pois não tenho dado a atenção que todos me merecem, tenho andado arredada de tudo e de todos para dar atenção, se calhar a causa mais pequena.,
A todos , mas a todos mesmos quero deixar o meu pedido de desculpas, vou voltar em força ao contacto com todos. Espero que me compreendam, e me perdoem e não se zanguem.
Á dias que andava para fazer isto, mas aproveitei, este dia triste, nostálgico,de uma chuva miudinha, que chateia e vim para aqui.
Vim para estar com os meus amigos,com quem sempre me deu carinho, e me apoiou.
Bj grande. 

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Ser velho não e estar louco, nem querer ser intrometido. É sim ter outra visão, que a vida não é em vão que nos vai dando pancada. É amar com mais valia, é tentar não assustar... quando se morre de medo. Mostrar-nos fortes para que os outros, não sonhem o quanto a tua alma grita, e o corpo te doí na solidão de estar só, mesmo no meio da multidão, é tentar estender a mão, como que a pedir carinho, de quem se gosta se ama. E porque se é velho. Ser velho é trapo ,é lixo. Mas também foram jovens um dia, tiveram esperanças., com o passar dos dia tudo mudou, nesta roda que é a vida tudo passa, e para pior. Sò fica este vazio,esta angustia, esta saudade, do que fomos; este medo, esta incerteza, do que seremos. Não vos censuro acreditem, para mim, Velho é ternura, é experiencia, dos muitos anos vividos.