Seguidores

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Tristeza

A chuva não pará, cai  sem parar há horas.
O vento, fustiga as copas das árvores , provocando, um cadenciado, que mais parece uma melodia a condizer com o meu estado de alma.
Triste e vazio:
 Vazio de ti... vazio de tudo o que mais amo e quero...vazio até para tomar consciencia de que a vida está aqui...  sei que hoje  estas longe... será para sempre??? ... espero que não...mas que se faça
o que a vida tiver determinado, quem sou eu para querer  isto ou aquilo.
!.. ninguém...aquilo que eu queria podes não querer... aquilo que eu amo... pode não ser nada...estou aqui ... de mãos vazias... coração cheio desta angustia... desta saudade...A chuva não pará... se ela pudesse lavar meus pensamentos... minhas dores, meus desalentos... sei que é benefica esta chuva este vento....este lamento cadenciado da mãe natureza. Fecundado a terra.
Se a vida ouvisse  meu lamento...  tapava este buraco que tenho dentro do peito, levava esta solidão, esta dor ...oh! vida deste-me a esperança... fizeste  renascer, para em seguida morrer.LR

Nenhum comentário: